ÁREAS DE ATUAÇÃO

Semana Internacional do Café atrai público recorde e gera R$ 30 milhões em negócios com fomento do Governo de Minas Gerais

10 de novembro de 2017

Maior encontro da cadeia produtiva do setor supera expectativas e projeta Belo Horizonte como capital nacional do café; evento foi realizado pelo Governo do Estado, por meio da Seapa e da Codemig, pelo Sistema Faemg, pelo Sebrae e pela Café Editora

O balanço final da sexta edição da Semana Internacional do Café (SIC) confirma Belo Horizonte como a capital nacional do café. Maior encontro da cadeia produtiva do setor no Brasil e um dos principais do mundo, a SIC registrou número recorde de público: 17 mil visitantes. Além disso, foram iniciados pelo menos R$ 30 milhões em negócios, o que representa o incremento de 20% em relação ao ano passado. O evento foi promovido pelo Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), juntamente com o Sistema Faemg, o Sebrae e a Café Editora.

Realizado no Expominas Belo Horizonte de 25 a 27 de outubro, o evento também impressiona por outros números: 30 mil cafés foram degustados, sendo 1,5 mil somente nas salas de cupping (prova de cafés) e negócios; 40 compradores internacionais, vindos de 16 países diferentes, participaram do encontro; a programação incluiu 80 palestras e workshops, 15 sessões de cupping, nos eventos técnicos como o Seminário Internacional DNA Café, o Fórum da Agricultura Sustentável, o Encontro Educampo e a Cafeteria Modelo.

O secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, Pedro Leitão, considera que, atualmente, a exigência de mercado vai além da qualidade do grão, englobando o aperfeiçoamento do processo produtivo como um todo. O presidente da Codemig, Marco Antônio Castello Branco, salienta a importância do fomento a um dos mais importantes eventos mundiais da cafeicultura. “A Codemig busca incentivar e promover o desenvolvimento econômico na região cafeeira, por meio de uma linha de atuação que objetiva agregar valor à cadeia, possibilitando maior reconhecimento do café produzido em Minas Gerais”, pontua.

O diretor da Faemg e presidente das Comissões Estadual e Nacional de Cafeicultura, Breno Mesquita, destaca a importância de se investir em pesquisa, tecnologia e capacitação. “Inovação é a palavra da vez quando se fala no panorama atual do café”, comenta. Para o superintendente do Sebrae-MG, Afonso Rocha, “o Brasil passa por uma mudança de posicionamento, deixando de ser vendedor de commodity para vender a experiência de se beber café”. O diretor de planejamento da Café Editora, Caio Fontes, avalia que foi possível mostrar ao mundo o quanto café mineiro é diferenciado.

Presença internacional

O diretor geral da Hiu Coffee / Hiu Coffee Farms, Graciano Cruz, ficou muito impressionado com o nível profissional da SIC encontro e com a participação maciça dos cafeicultores e demais representantes desse segmento no Brasil. “Foi incrível compartilhar e aprender cada vez mais sobre o grande potencial da indústria brasileira de café, durante a SIC 2017”, enfatiza.

“É uma honra estar no Brasil, entre tantos profissionais, e perceber que o País é mais que um grande produtor. Ele tem marcas fortes e ideias surpreendentes para a cadeia produtiva, que trazem um novo estilo de sabor”, ponderou Thomas Schweiger, de Green and Bean.

Presidente do Roasters Guild e CEO da Cuatro M, Emilio Lopez Diaz considera que o Brasil é um exemplo a ser seguido por todos os países produtores e consumidores. “Sinto-me honrado de ter sido parte deste magnifico evento. Parabéns a toda a indústria brasileira de café”, felicita.

Premiações

Coffee of the Year 2017

Sandra Lelis da Silva, de Araponga, nas Matas de Minas, levou o título de Coffee of the Year 2017 na categoria arábica. Primeira mulher a vencer o concurso, Sandra tem uma produção familiar na sua região. Já na categoria conilon, os campeões foram os Irmãos Dutra, de Manhuaçu, Matas de Minas. Veja o resultado completo no link http://semanainternacionaldocafe.com.br/br/?page_id=3338.

6ª Copa Barista

O barista Hugo Silva, da IL Barista, de São Paulo, levou a melhor na final do campeonato e se sagrou campeão do torneio, que teve participação de 32 baristas. Em segundo lugar, Ton Rodrigues, da True Coffee, também de São Paulo, e, em terceiro lugar, Ivan Hayden, da Academia do Café, de Belo Horizonte.

Semana Internacional do Café

A SIC contou com a participação de produtores, fornecedores de insumos, máquinas e equipamentos, certificadores, torrefadores, varejistas, exportadores e compradores internacionais, técnicos agrícolas, engenheiros agrônomos, pesquisadores e apreciadores do café mineiro, além de cooperativas, instituições de ensino e entidades de classe.

Dividida em três grupos focais ― Mercado & Consumo, Conhecimento & Inovação, Negócios & Empreendedorismo ―, a Semana Internacional do Café abarcou exposição de estandes de empresas e organizações governamentais, cursos técnicos, seminários, fóruns, palestras, workshops e reuniões. Também promoveu ações diversificadas, como competições de qualidade, degustação de cafés das diferentes regiões produtoras e viagens de compradores internacionais a fazendas e cooperativas, valorizando toda a cadeia produtiva, do plantio ao consumo.

Em 2017, o destaque foi a ampla programação de eventos simultâneos, encontros, seminários, cursos, concursos e sessões de cupping. Por três dias, produtores, torrefadores, baristas, especialistas e consumidores puderam conhecer as novidades do mercado no Espaço Café Brasil, maior feira brasileira do setor, que chegou à sua 12ª edição.

A SIC é realizada desde 2013 na capital do maior estado produtor do País, tendo como foco o desenvolvimento do mercado brasileiro e a divulgação da qualidade dos cafés nacionais para o consumidor interno e países compradores, além de potencializar o resultado econômico e social do setor. Outras informações sobre o evento estão disponíveis no site www.semanainternacionaldocafe.com.br.

Minas Gerais e o café

A cafeicultura é historicamente relevante para a economia mineira. Minas Gerais é o maior estado produtor do Brasil, com 30,7 milhões de sacas na safra 2015/2016, o que representa 60% de toda a produção brasileira (Conab, 2017). Está presente em aproximadamente 70% dos municípios (IBGE, 2015), compreendendo um parque cafeeiro de mais de 1 milhão de hectares. Em 2016, a cafeicultura representou 6,7 % do PIB agropecuário do estado (R$ 13,6 bilhões) e representou ainda 67,9% de todo o café exportado pelo País.

Geoportal do Café: projeto pioneiro no Brasil

O Governo mineiro prepara o lançamento do Geoportal do Café, a fim de contribuir para a excelência de uma das principais atividades econômicas em Minas Gerais. A criação da plataforma tecnológica tem a participação da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-MG), da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) e da Seapa, com a parceria da Codemig e da Fundação João Pinheiro (FJP). O valor total do projeto de mapeamento do parque cafeeiro é da ordem de R$ 6 milhões, sendo R$ 4 milhões oriundos da Codemig e R$ 2 milhões de contrapartida da Emater e Epamig. Os recursos estão sendo investidos em softwares, veículos, drones e tablets utilizados para todas as fases do trabalho.

O objetivo do Geoportal do Café é mapear todas as áreas de cultivo no estado, com inserção de dados socioeconômicos e geoespaciais para subsidiar políticas públicas e investimentos privados de toda a cadeia produtiva. O café é a principal commodity agrícola de Minas Gerais, com relevância na geração de emprego e renda. A conclusão do mapeamento trará informações completas dos 451 municípios listados como produtores de café pela Emater-MG e está prevista para março de 2018.

Por meio do Geoportal do Café, o produtor poderá localizar sua propriedade nas glebas de café, o que será importante para melhor planejamento e gestão da atividade. Também para os gestores municipais e estaduais, os dados levantados e disponibilizados serão capazes de facilitar o direcionamento de ações para todas as regiões. O geoportal é a primeira fase do Observatório da Agricultura, considerado um projeto ainda mais amplo para contemplar as principais cadeias produtivas mineiras.

O mapeamento do parque cafeeiro de Minas Gerais vai apresentar, com exatidão, o que o estado tem de café irrigado. Hoje o número estimado está em 10% da área plantada, que ultrapassou 1,2 milhão de hectares em 2016. O geoportal também vai facilitar a vida dos usuários, que poderão carregá-lo para qualquer lugar como fonte de consulta.