ÁREAS DE ATUAÇÃO

Espaço Cultural Tergip

Reinaugurado em agosto de 2016 pelo Governo do Estado de Minas Gerais por meio da Codemig, O Espaço Cultural Tergip é uma área localizada no hall de entrada do terminal rodoviário responsável por receber e promover atrações culturais, proporcionando a interação e a interlocução da população com a arte.  Objetivando democratizar os bens culturais, o local resgata uma função social da rodoviária que, além de um espaço de embarque e desembarque, passa a ser um ambiente de contemplação e contato com obras de artistas mineiros, nacionais e internacionais.

Além da arte que sai dos museus e galerias e passa a ocupar o espaço público, estando mais próxima da população, os visitantes poderão conferir manifestações culturais diversas, como música, danças populares e até mesmo exposições de brinquedos e carros antigos. A proposta é de que sejam promovidas atrações periódicas ao longo do ano.

Em cartaz

Vida de Barro – A arte do Jequitinhonha

dsc_0289A exposição “Vida de Barro – A arte do Jequitinhonha” instalada pelo curador do Espaço Cultural Tergip, Robson Soares, traz para junto do público as artes produzidas pelos artesãos do Vale do Jequitinhonha. Peças esculpidas em barro que ganham forma, cores e vida na mão dos artistas mineiros. São nove peças que representam a cultura e um pouco do estilo de vida dos moradores do Norte de Minas.

Artesãos do Vale do Jequitinhonha mostram como transformam a argila em obras de arte admiradas e premiadas até mesmo no exterior. São peças de barro que enfeitam desde as casas mineiras às galerias de arte da Europa e dos Estados Unidos. Uma técnica primitiva que transforma a matéria-prima em cerâmicas decorativas, como bonecos em tamanho natural, ou usadas no dia-a-dia, como panelas e potes.

 

ATRAÇÕES ANTERIORES

Exposição “Rodin”

foto-030A exposição “Rodin” leva ao público as nove réplicas do artista que fazem parte da coleção da Vallourec. Entre elas estão “O filho pródigo”, de 1900, que se destacou pela originalidade; “O burguês de Calais”, feita a partir de um dos personagens da obra “Os burgueses de Calais” e representa, por meio de gestos, dor e desespero, enquanto a vestimenta que cobre seu corpo acentua o senso de tragédia; e “O beijo”, considerada uma das obras-primas de Rodin. Também faz parte da exposição a obra “O pensador”, que se tornou símbolo popular da imagem do artista.

Com uma capacidade singular para esculpir, Rodin fez frente à tradicional escultura, no final do século XIX e início do século XX, em que as obras eram predominantemente decorativas e temáticas. Originalmente, os temas das obras de Rodin versavam sobre mitologia, alegoria, tendo o corpo humano com molde para uma arte realista.


Projeto Música Pra Viajar

De 20 a 27 de janeiro, o Espaço Cultural Tergip recebe o projeto Música Pra Viajar. Composto por oito atrações de estilos variados, o projeto leva aos passageiros e usuários do Terminal Rodoviário Governador Israel Pinheiro diferentes músicas que retratam o perfil cultural de Minas Gerais. Veja a programação.


Exposição “Bem me Quer”

bem-me-querA exposição “Bem me quer”, do escultor Pedro Miranda, é a nova atração do Espaço Cultural Tergip. Com muita poesia e dedicação, Pedro leva para rodoviária variadas obras, incluindo uma das mais recentes concepções do autor que dá origem ao nome da exposição. Tendo seu próprio Fusca como uma das peças centrais, o autor retrata cenas do cotidiano mineiro com leveza e criatividade.

Nascido em Belo Vale, Pedro Miranda esculpe há mais de 40 anos em aço naval, madeira e ferro. Seu trabalho é composto por personagens que são recorrentes em diversas obras, como a cadelinha Nina ou a menina à janela.

 


Exposição “Leandro Gabriel – Esculturas”

foto-01O Espaço Cultural Tergip recebe, entre os meses de agosto e outubro de 2016, a exposição “Leandro Gabriel – Esculturas”. Artista mineiro, idealizador do Projeto Viaduto das Artes, Leandro Gabriel pretende socializar a arte a partir de exposições em espaços públicos de fácil acesso, aproximando a cultura das pessoas. O trabalho do escultor busca dar vida a materiais como peças de ferro que foram descartadas.

Por meio do uso da soldagem, o artista tem a natureza, paisagens e arquitetura como fontes inspiradoras que dão origem a suas peças. Obras de Leandro estão espalhadas por Belo Horizonte, ocupando diversos pontos da capital mineira, como, por exemplo, no Ponteio Lar Shopping e no Parque Estadual Serra do Rola Moça.



Voltar