ÁREAS DE ATUAÇÃO

Levantamento Aerogeofísico


Tecnologia gerando informações de qualidade

Minas Gerais é o estado brasileiro com as maiores jazidas minerais e grandes oportunidades de negócios. Para explorar bem essas riquezas, duas ferramentas são fundamentais: a pesquisa e a informação. Com a utilização de tecnologia de ponta, a Codemig vem produzindo informações aerogeofísicas, que estão à disposição de todo o setor de mineração.

Os Programas de Levantamento Aerogeofísico realizados pela Codemig de 2001 a 2013 (áreas 1 a 21), juntamente com os dados do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) e da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), cobrem 100% do território do Estado.

Além dessas áreas, existem outras quatro em Minas, sem participação da Codemig: Projeto do DNPM/CPRM (Rio das Velhas); Projeto do DNPM/CPRM (Itabira/Ferros); Projeto da ANP (Bacia do São Francisco); e Projeto da CPRM (Sul de Minas).

A minuciosa pesquisa do subsolo gera dados valiosos, com alta resolução, que ficam disponíveis na Codemig para utilização das empresas do setor. Pela alta confiabilidade das informações, elas se revelam importantes ferramentas para a prospecção mineral. Quando associadas a outras informações geológicas de precisão, permitem otimizar o custo das pesquisas e reduzir o risco dos investimentos em oportunidades no setor de mineração, além de possibilitar estudos hidrogeológicos.

Levantamentos aerogeofísicos de Minas Gerais

– Áreas 1 a 6 (2000/2001): seis áreas prioritárias com 250 metros de espaçamento entre as linhas de voo, equivalentes a 345.000 quilômetros lineares voados, cobrindo 78.000 quilômetros quadrados, o que corresponde a 14% da superfície do Estado. Foram investidos pelo Governo de Minas Gerais recursos da ordem de R$5,9 milhões, contratando-se por licitação a Lasa e a Megafísica.

– Áreas 7 a 9 (2005/2006): três áreas com 400 e 500 metros de espaçamento entre as linhas de voo, equivalentes a 295.000 quilômetros lineares voados, com superfície total de 119.000 quilômetros quadrados, o que corresponde a 20% de Minas. Foram investidos pelo Governo de Minas Gerais, juntamente com Governo Federal, recursos da ordem de R$10,3 milhões, tendo sido contratadas por licitação a Lasa e a Prospectors.

– Áreas 10 a 13 (2008/2009): cinco áreas com 500 metros de espaçamento entre as linhas de voo, equivalentes a 300.000 quilômetros lineares voados, totalizando 140.000 quilômetros quadrados, correspondentes a 25% da superfície. O Governo estadual e o federal investiram recursos da ordem de R$11,7 milhões e contrataram por licitação a Lasa e a Prospectors.

– Áreas 14 a 20 (2011/2012): sete áreas com 500 metros de espaçamento entre as linhas de voo, equivalente a 357.000 quilômetros lineares voados. A cobertura abrange uma superfície de 181.000 quilômetros quadrados, correspondente a 24% do território mineiro.

– Área 21 (2012/2013): uma área com 1.000 metros de espaçamento entre as linhas de voo, equivalente a 28.000 quilômetros lineares voados. A cobertura abrange uma superfície de 28.000 quilômetros quadrados do Estado, correspondente a 4%, finalizando a totalidade da cobertura do Estado.

Além dessas áreas, existem outras quatro em Minas, sem participação da Codemig: Projeto do DNPM/CPRM (Rio das Velhas); Projeto do DNPM/CPRM (Itabira/Ferros); Projeto da ANP (Bacia do São Francisco); e Projeto da CPRM (Sul de Minas).

Minas Gerais – Áreas 1 a 20

levantamento_aerogeofisico_areas1a20

Arquivos para download

Formulário Aerogeofísico – Áreas 1 a 6

Formulário Aerogeofísico – Áreas 7 a 9

Formulário Aerogeofísico – Áreas 10 a 13

Formulário Aerogeofísico – Áreas 14 a 21



Voltar